Reconstrução mamária e a mastectomia

Reconstrução mamária pode ser feita no mesmo procedimento cirúrgico da mastectomia

Núcleo de Mastologia do Ambulatório de Filantropia do Hospital Sírio-Libanês já realiza o procedimento há oito anos

seios3O Núcleo de Mastologia do Ambulatório de Filantropia do Hospital Sírio-Libanês usa toda sua expertise na prevenção e tratamento de câncer de mama a mulheres que já têm a doença ou possuem potencial para desenvolvê-la, encaminhadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Há oito anos, o Núcleo realiza cirurgia de reconstrução de mama no mesmo procedimento da mastectomia, em 95% dos casos atendidos. Ao todo, mais de mil mulheres já foram beneficiadas.

Quando as cirurgias são feitas simultaneamente, além de facilitar o processo de cicatrização e deixar a paciente mais estável psicologicamente, contribui também para acelerar a recuperação e aumentar a autoestima delas. Exceto em alguns casos em que haja restrição médica”, explica o cirurgião plástico Dr. Marcelo Sampaio, do Núcleo de Mastologia do Hospital Sírio-Libanês.

No Ambulatório, são atendidos 22 casos por mês, ou aproximadamente 260 por ano. Um dos diferenciais é o atendimento multiprofissional, formado por uma equipe de mastologistas, radioterapeutas, cirurgiões plásticos e oncologistas, que oferecem às pacientes tratamento com o uso de tecnologias de última geração, como a radioterapia intraoperatória, por exemplo.

Prevenção

Considerado o tipo mais comum de câncer com maior incidência na população feminina, o câncer de mama responde por 22% dos casos novos a cada ano, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). Entre os fatores de risco, destacam-se a predisposição genética associada à presença de mutações em determinados genes, idade avançada, exposição prolongada aos hormônios femininos e o excesso de peso.

Para se prevenir, as mulheres a partir dos 40 anos devem realizar anualmente o exame clínico e o autoexame das mamas, além de mamografia e ultrassonografia, exames mais específicos que permitem um diagnóstico precoce, quando o tumor ainda é pequeno.

O tratamento varia de acordo com o tipo de câncer. Quimioterapia, radioterapia e cirurgia são os mais indicados. Em casos de tumores extensos, a mastectomia, retirada total da mama, é o procedimento mais indicado, que agora é acompanhado da reconstrução mamária, obrigatória e imediata, o que proporciona resultados bastante satisfatórios.

Agora é lei

Desde a última quinta-feira (25 de abril de 2013), a Lei 12.802, sancionada pela presidente Dilma Rousseff, obriga os hospitais da rede pública do Brasil a oferecer a reconstrução mamária no mesmo procedimento cirúrgico da mastectomia.

Uma Lei de 1999, a Lei 9.797, já determinava que o Sistema Único de Saúde (SUS) realizasse a reconstrução da mama nos casos de retirada total. No entanto, o procedimento não era obrigatório na mesma cirurgia, o que poderia ser adiada indefinidamente.

Assessoria de Imprensa Hospital Sírio-Libanês

WN&P Comunicação: Acácia Paes (acacia.paes@hsl.org.br)
Maria Teresa Moraes (maria.tmoraes@hsl.org.br)
Tel.: (11) 3155-1090/ 1180
Plantão: (11) 99135-1217

Tags:,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria