HPV: o tratamento é imprescindível

Prevenir é importante, mas tratar o HPV é imprescindível
Só no Brasil, cerca de 685 mil novas pessoas são infectadas anualmente pela doença

hpv03

O SUS anunciou, na última semana, que oferecerá vacinação contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV, em escolas públicas e privadas, inicialmente, para meninas entre 11 e 13 anos. Até 2016, o Ministério da Saúde pretende estender as vacinas a meninas de outras idades, com o objetivo de imunizar 80% das 5,2 milhões de adolescentes entre 9 e 13 anos. Segundo o Imunologista Marcello Bossois, a medida é, sim, muito importante, mas é necessário olhar para as milhões de pessoas que já sofrem da doença. “Só entre as mulheres, o HPV já afeta cerca de 290 milhões delas em todo o mundo”, comenta. “Tão importante quanto a prevenção é pensar no tratamento do HPV”, completa.

Além da vacinação preventiva – que tem um papel fundamental no combate da doença – existe um outro tipo de vacina, a imunoterapia, que não é específica para o HPV mas é muito eficaz em seu tratamento. A aplicação desta terapia é uma arma imprescindível na luta contra o vírus, já que é um composto imunoestimulante capaz de fortalecer o sistema imunológico (bastante fragilizado) do paciente, reduzindo significativamente as complicações de quem já sofre com a doença.

Estas vacinas aumentam a imunidade celular dos afetados, o que ajuda a controlar os sintomas da doença, que poderão variar entre lesões de pele ou da mucosa genital, uma leve coceira nas regiões íntimas, além de dor durante a relação sexual e corrimento entre as mulheres. “Felizmente, se diagnosticada rapidamente, as lesões causadas pelo HPV, denominadas displasias, podem ser tratadas através da imunoterapia associada a medicamentos com sucesso em cerca de 90% dos casos”, ressalta Dr. Marcello Bossois, que coordena o Projeto Social Brasil Sem Alergia, ação social que realiza campanha gratuita para orientação clínica do HPV.

Ao todo, existem mais de 100 tipos de HPV, vírus transmitido principalmente por meio de, relação sexual, pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas. Há quatro tipos mais comuns de HPV: 6, 11, 16 e 18 – os dois primeiros mais ligados à maioria das verrugas genitais e os dois últimos, principalmente a 90% dos casos de câncer de colo de útero.

O HPV é muito perigoso para o sexo feminino, pois o câncer de colo de útero é um dos três tipos que mais atinge as mulheres – só no Brasil, cerca de 7 mil mulheres morrem anualmente por este tipo de tumor. Os homens, entretanto, também precisam se preocupar bastante com a doença, que pode ser mais silenciosa no sexo masculino, sendo sintomática em apenas 20% dos casos. “Os subtipos 6 e 11 do vírus podem, na maioria das vezes, causar incômodas verrugas genitais, ou “crista de galo”, entre os homens, mas os subtipos 16 e 18 são considerados de altíssimo risco, podendo provocar câncer de pênis ou na região anal”, alerta o médico.

Uma das características desse vírus é que ele pode ficar instalado no corpo por muito tempo sem se manifestar, entrando em ação em determinadas situações, como na gravidez ou em uma fase de estresse – quando a defesa do corpo fica abalada. Muitas vezes um paciente pode ser um portador do vírus sem sequer fazer idéia disto. Por isto, é importante buscar um diagnóstico correto o quanto antes!

Exames para o diagnóstico:

Papanicolaou:

é o exame preventivo mais comum. Ele não detecta o vírus, mas sim as alterações causadas nas células.

Colposcopia:

exame feito por um aparelho chamado colposcópio, que aumenta o poder de visão do médico, permitindo identificar as lesões.

Biópsia:

é a retirada de um pequeno pedaço de tecido para a análise.

Captura Híbrida:

é um exame que consegue diagnosticar a presença do vírus mesmo antes de a paciente ter qualquer sintoma. Esse é o único exame capaz de dizer com certeza se a infecção existe ou não.

BOX:

O Brasil Sem Alergia oferece atendimentos gratuitos para diversos tipos de processos alérgicos e doenças ligadas ao sistema imunológico. Com mais de 100 mil atendimentos gratuitos já realizados, a Ação Social possui dois postos na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, onde realiza uma campanha gratuita para orientação clínica do HPV, doença que tem uma íntima relação com o sistema imune. Interessados devem agendar suas consultas através dos telefones: (21) 3939-0239 ou (21) 2652-2175. Vale ressaltar que o Projeto Social está com um abaixo assinado para apresentar ao Governo sobre a necessidade de um apoio em prol da manutenção das atividades: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=P2013N42930

Brasil sem Alergia

ALERGORIO PREVENCAO E IMUNIZACAO PARA ALERGICOS LTDA – ME
Igor Bahiense
E-mail: igorbahiense.assessoriarj@gmail.com
Fone: (393) 90239

Tags:, ,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria