Meu parceiro tem prótese peniana. E agora?

Confira mitos e verdades sobre a disfunção erétil e o tratamento que devolve ao casal
a capacidade de retomar a vida sexual

infertilidade03A disfunção erétil atinge em algum grau (leve, moderado e grave) cerca de 50% dos brasileiros acima dos 40 anos ou 25 milhões de homens no país. Mas a boa notícia é que mesmo os casos mais graves da doença podem ser solucionados, permitindo ao casal resgatar a vida sexual.

O implante de próteses penianas é reconhecido atualmente como a alternativa definitiva e a mais efetiva para casos graves de disfunção erétil, quando medicamentos e outras terapias não são bem-sucedidos. Ao contrário do que se imagina, os implantes penianos infláveis proporcionam uma ereção muito próxima do natural, com elevados índices de satisfação do casal.

Para orientar homens e mulheres sobre a gravidade da doença, o diagnóstico correto da doença e a indicação dos tratamentos adequados, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) lançou a Campanha Nacional contra a Disfunção Erétil – De Volta ao Controle (www.devoltaaocontrole.com.br).

O médico urologista e chefe do Departamento de Andrologia da SBU, Antonio de Moraes Junior, esclarece alguns mitos e verdades sobre a doença e o tratamento da forma mais grave. Confira:

1 – Ter dificuldade de alcançar e manter uma ereção, esporadicamente ou em raras situações, é um indício de que o homem tem disfunção erétil.

MITO – O fato de o homem eventualmente “falhar na hora H” não significa que tenha disfunção erétil ou impotência sexual. A doença pode estar presente quando há total incapacidade ou inconsistência para se atingir uma ereção ou quando a tendência de se sustentar ereções curtas é recorrente. A Sociedade Brasileira de Urologista disponibiliza no site www.devoltaaocontrole.com.br um teste preliminar para quem está em dúvida se tem a doença. A entidade sempre orienta o homem a se consultar com o urologista, especialista no assunto que poderá atendê-lo com o auxílio de outros profissionais, como psicólogo, cardiologista e endocrinologista.

2 – O homem desenvolve a disfunção erétil basicamente por causa do estresse da vida moderna e da ansiedade cada vez mais presente nas pessoas.

MITO A disfunção erétil é uma doença de causas múltiplas. Pode estar associada a problemas de ordem psicológica, tais como ansiedade, depressão, fadiga, culpa, estresse, crise de relacionamento, expectativa sobre o desempenho sexual, entre outras. Mas a ereção pode ser afetada por questões orgânicas, como diabetes, doenças cardiovasculares, disfunções hormonais (a exemplo de baixo nível de testosterona), decorrentes de doenças renais e hepáticas, traumas físicos e lesões neurológicas. Outra causa possível é o priapismo, ereção prolongada originada por outros motivos que não o desejo sexual e que pode ser resultado de anemia falciforme, terapias injetável e oral para disfunção erétil usadas de maneira inapropriada e consumo de drogas ilegais. Outro fator de risco é o uso de alguns remédios como antipsicóticos, antidepressivos, anti-hipertensivos, anticonvulsivantes, anfetaminas, antagonistas da histamina, hormônios, opiáceos e medicamento s para doença cardiovascular e de Parkinson. A disfunção erétil também tem vínculos com alcoolismo, tabagismo e distúrbios sexuais como ejaculação precoce, diminuição da libido e até mesmo a Doença de Peyronie (curvatura acentuada do pênis). Pode resultar ainda de cirurgias que interrompam o fluxo de sangue ou inibam terminações nervosas (prostatectomia radical, ressecção transuretral da próstata, intestinais que envolvem o reto e períneo, de bexiga ou uretra, para a Doença de Peyronie e cirurgias da coluna vertebral).

3- Após o implante da prótese, o homem terá ereção permanente.

Mito. Há dois tipos de prótese disponíveis, a semirrígida e a inflável. Com a prótese semirrígida, o pênis fica ereto permanentemente, embora seja possível deixá-lo em diferentes posições de acordo com a necessidade. Já a prótese inflável reproduz a ereção tal como ela ocorre quando o homem não tem disfunção erétil. Isso porque o sistema desse tipo de prótese imita o fluxo sanguíneo natural no momento da ereção. Trata-se de uma tecnologia de inflação e deflação totalmente controlável, o que permite uma ereção no momento desejado.

4- É possível identificar os homens que possuem prótese peniana.

Mito. A prótese inflável permite o total estado de flacidez do pênis quando não há o desejo da ereção. Isso se deve ao mecanismo moderno desse tipo de implante que é composto por uma bomba, implantada no saco escrotal que ativa e desativa o sistema de ereção, um reservatório localizado no abdômen que envia o fluido para preencher os cilindros alojados no pênis, conferindo rigidez ao membro. Todos os componentes são internos. Aparentemente, não é possível perceber a existência da prótese inflável. A prótese semirrígida, ao contrário, deixa o pênis em constante ereção, embora seja possível dobrá-la a 90º. Por isso, em determinadas situações, a ereção fica aparente e pode ser percebida, causando constrangimentos.

5- A prótese não interfere na ejaculação e no orgasmo.

Verdade. Se o paciente costumava ter orgasmos antes de receber a prótese peniana (semirrígida ou inflável), continuará a tê-los normalmente. O mesmo vale para a capacidade de ejaculação. Ou seja, o implante de prótese peniana permite a retomada da vida sexual de forma completa.

6- O implante de prótese peniana afeta a fertilidade.

Mito. O paciente que realiza o implante permanece fértil. Os testículos, local onde são produzidos os espermatozoides, são conservados e o processo de ejaculação não é afetado. Então, é possível que o homem ainda tenha filhos utilizando uma prótese peniana.

7 – Os pacientes submetidos a tratamento cirúrgico retomam normalmente a atividade sexual em curto prazo.

VERDADE – Independentemente do tipo de prótese implantada, cada paciente se restabelece da cirurgia de uma forma diferente, mas o tempo médio de recuperação varia de quatro a seis semanas e da retomada da vida sexual de quatro a oito semanas. Algumas atividades precisarão ser suspensas durante esse período, especialmente as relações sexuais, e é o médico quem definirá o que poderá ou não ser feito nesse tempo. Seguindo à risca as orientações, a retomada da rotina será mais rápida e os resultados da cirurgia, ainda melhores. Após a cirurgia, é necessário treinamento para o correto manuseio da prótese, seja ela semirrígida ou inflável. Se o paciente costumava ter orgasmos antes de receber a prótese peniana (semirrígida ou inflável), continuará a tê-los normalmente. O mesmo vale para a capacidade de ejaculação. É recomendável consultar o urologista sobre os resultados esperados.

8 – No Brasil, os sistemas de saúde garantem a cobertura de todos os tratamentos disponíveis para disfunção erétil.

MITO – O Sistema Único de Saúde (SUS) distribui gratuitamente a substância sildenafila, na forma de comprimidos de 20, 25 e 50 gramas. O SUS também cobre a realização da cirurgia para implante da prótese peniana semirrígida. Nenhuma medicação, seja oral ou injetável, é oferecida pela saúde suplementar. Os planos de saúde só cobrem a cirurgia para implante da prótese semirrígida. Nem o SUS, nem os planos de saúde garantem cobertura de bombas a vácuo, supositórios, injetáveis e implantes infláveis. Vale alertar que o acesso a qualquer terapia contra disfunção erétil deve ser mediante orientação e prescrição do urologista.

Sobre a Campanha Nacional Contra a Disfunção Erétil – De Volta ao Controle

A Campanha Nacional Contra a Disfunção Erétil – De Volta ao Controle é uma ação da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) com objetivo de conscientizar a população brasileira sobre prevenção e tratamentos disponíveis para a doença, sobretudo nos estágios severo e completo. A ideia é desmistificar o assunto, garantir o acesso à informação sobre todas as soluções disponíveis, fazendo o homem procurar tratamento adequado para recuperação da atividade sexual. Melhorar a qualidade de vida de milhões de brasileiros com indicação cirúrgica para o tratamento da disfunção erétil também está entre os objetivos da ação. De Volta ao Controle quer esclarecer os benefícios e as vantagens da utilização da prótese peniana inflável para a disfunção erétil irreversível. A finalidade dessa iniciativa é conscientizar a população quanto à importância da ampliação do acesso às alternativas terapêuticas mais modernas para a disfunção eréti l irreve rsível. Com a campanha, a SBU cumpre seu papel de promoção à saúde urológica no país. Para mais informações, acesse www.devoltaaocontrole.com.br.

Sobre a SBU

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) é uma associação científica sem fins lucrativos, representativa dos médicos brasileiros especializados em urologia, especialidade clínica e cirúrgica responsável pelo diagnóstico e pelo tratamento das enfermidades do sistema urinário de ambos os sexos e do sistema genital masculino. A entidade foi fundada em 13 de maio de 1926 e possui hoje 27 seccionais espalhadas pelo Brasil, com a função de coordenar e monitorar a atividade urológica nas unidades federativas. A SBU congrega cerca de 90% dos urologistas brasileiros, ou seja, mais de 4 mil profissionais. Aproximadamente 90% dos profissionais são homens. A maioria trabalha na região Sudeste (58%); no Sul, são 16,5%; no Nordeste, 14%; no Centro-Oeste, 8,2%, e no Norte, 3,3%. Para mais informações, acesse www.sbu.org.br/publicowww.sbu.org.br.

Campanha Nacional Contra a Disfunção Erétil – De Volta ao Controle

Ketchum

Deborah Moratori – (11) 5090-8953 / deborah.moratori@ketchum.com.br
Juliana Fernandes – (11) 5090-8900 r. 8999 / juliana.fernandes@ketchum.com.br
Patrícia Torres – (11) 5090-8958 / patricia.torres@ketchum.com.br

Sociedade Brasileira de Urologia

Vithal Comunicação Integrada
Aline Thomaz – (21) 3217-1621 / alinethomaz@vithal.com.br

ESTRATEGIA ASSESSORIA DE COM. LTDA

Mayara Carlis
E-mail: mayara.barboza@ketchum.com.br
Fone: (11) 50908900

Tags:,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria