Entre o parto normal e a cesárea

Decidir entre parto normal e cesariana é uma das questões mais relevantes durante a gravidez.

Dados do Ministério da Saúde de 2016 apontam que 55% dos procedimentos realizados no país são cesáreas, número que cresceu 40% em 15 anos. Os especialistas apontam algumas razões para esse aumento: medo da dor, falta de informação para a gestante, carência de leitos e de profissionais nos hospitais e maternidades e baixa remuneração dos médicos.

O tocoginecologista Carlos Alberto Politano, coordenador dos Representantes Credenciados da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP), ressalta que é essencial a participação ativa da parturiente no pré-natal, no parto e no pós-parto. “A preferência da cesariana se deve a uma conjuntura de fatores que se interpõe durante o período gestacional desde medo pelo desconhecido, passando por experiências desagradáveis de parentes e culminando com a influência do meio social em que vive”, analisa o médico.

Segundo Politano, o importante é pensar no bem estar da mãe e do bebê. “Nesse momento, mais do que nunca, com todo avanço da tecnologia na área médica, não podemos pensar em prós e contras quando a nossa preocupação é o binômio materno-fetal. É inaceitável uma complicação por uma cesariana inadequadamente indicada, assim como um parto extremamente demorado e nascimento de uma criança com sequelas futuras. Precisamos urgentemente derrubar esse muro em que de um lado estão os médicos que acham que a cesariana é sempre a melhor via de parto e do outro os colegas que vão ao extremo para fazer um parto via vaginal”, afirma.

Para as mulheres que precisam escolher o tipo de parto, o tocoginecologista faz uma advertência quanto ao que pode ajudar na hora do nascimento do bebê. “É muito simples: pré-natal realizado de forma adequada responde a todas as perguntas. Quando a mulher chega ao consultório com um teste positivo de gravidez, ela tem uma quantidade imensa de dúvidas. Nesse momento, começa a se definir a via de parto. O acolhimento a essa paciente é a chave de tudo, ali se inicia uma empatia entre médico e gestante, que tem de sair dessa consulta com suas dúvidas dirimidas e confiante de que a escolha do médico que vai acompanhar a gestação, parto e puerpério foi a correta”, acrescenta.

O ideal, para Politano, é a mulher perguntar ao médico que a está atendendo se ele faz parto normal ou só cesariana. “É preciso discutir todas as possibilidades de ambos de forma clara, de tal modo que a decisão, que é sempre direito da paciente, se superponha ao ideal para aquela gestação. Importante nesse momento é informar que intercorrências gestacionais podem definir a via de parto para a segurança de ambos”, informa.

Não existe mais espaço na obstetrícia moderna para, durante o trabalho de parto, a mulher ficar deitada sem se movimentar. Ela naturalmente se adequa a posições mais confortáveis. É interessante mudar a posição, caminhar, se exercitar durante o trabalho de parto. Na hora do nascimento, a posição vertical pode ser escolhida pela mulher, de tal forma que se sinta mais confortável e com facilidade para em empurrar o bebê”, finaliza Carlos Alberto Politano.

Acontece Comunicação e Notícias

Chico Damaso – Geovanna Bispo – Luanna Nery
(11) 3853-0770 / 3871-2331 / 3873-6083 / 99911-8117
www.acontecenoticias.com.br / acontece@acontecenoticias.com.br

 

Tags:,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria