Dica: Como lidar com varizes em cada fase da vida

Angiologista e cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita explica como surgem as varizes, os principais gatilhos relacionados a essas veias que perderam a função e os tratamentos que podem ser feitos.

Embora a idade seja um dos principais fatores associados ao aparecimento de varizes – veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função causando danos estéticos e danos circulatórios, a genética tem um papel fundamental. “Enquanto o fator genético é preponderante, o envelhecimento é um agravante; mas há casos, raros, de varizes na infância”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. “E alguns hábitos também podem agravar a situação”, completa.

Mas de acordo com a médica, dependendo da fase de vida em que estamos, o enfoque e a maneira de tratar a doença muda completamente. “Como todo o nosso corpo, o sistema circulatório envelhece e isso interfere diretamente na evolução e no tratamento”, explica. Abaixo, ela detalha particularidades da doença em várias fases da vida:

Na infância

Felizmente, a presença de varizes na infância é um evento raro. Sempre que visualizarmos veias anômalas em uma criança, precisamos fazer uma avaliação mais completa para descartar hemangiomas, malformações vasculares ou outras causas”, recomenda a médica. Após o diagnóstico, o tratamento de varizes nessa fase costuma ser mais conservador, com incentivo à prática esportiva e acompanhamento com cirurgião. “Depois da primeira menstruação ou início de uso de pílulas anticoncepcionais, na adolescência, devemos ficar mais atentos, pois é nesse momento que a doença pode se manifestar de forma mais evidente”, alerta.

Aos 20 anos

Nessa fase muitas mudanças acontecem: uso de anticoncepcional, faculdade, começo da vida profissional, e muitas vezes, a correria do dia a dia, associada a sensação de invencibilidade, fazem com que deixemos de lado coisas importantes, como o cuidado com a alimentação, atividade física e o check up médico, que sempre vai ficando para depois”, diz. Mas o curioso, segundo a médica, é que pessoas com tendência a varizes, aos 20 anos, geralmente já começam a mostrar alguns sinais, como vasinhos, veias muito aparentes, cansaço e inchaço. “Esse momento é o melhor para começar um acompanhamento, quando a doença ainda está em fase mais inicial e pode ser controlada com procedimentos e cuidados mais simples. O melhor tratamento é sempre a prevenção”, afirma a médica.

Aos 30 anos

A maioria das mulheres passa por duas etapas importantes da vida nessa fase da vida: estabilização da profissão, que geralmente significa jornadas de trabalho mais longas, sobrecarregando o sistema circulatório; a decisão de ampliar a família, o que implica numa gestação, e acaba por dar um stress a mais para o sistema venoso”, explica. Além disso, nessa fase da vida, se a predisposição genética existir, há uma grande probabilidade de piora das varizes. Por isso, é imprescindível que exista uma consulta com cirurgião vascular, antes de iniciar a gestação para preparar as pernas para essa jornada, sugere a médica. “É sempre preferível realizar dois procedimentos menores (quando necessário), um antes e outro depois da gestação, do que postergar o tratamento e correr o risco de ter que realizar um procedimento bem maior, depois que os filhos nascerem.” Outras dicas importantes são: atividade física regular, controle adequado do peso e boa alimentação, que são medidas necessárias ao longo de toda a vida.

Aos 40 anos

A partir dos 40 anos, surgem os sinais do envelhecimento e é a fase em que se começa a perceber, aos poucos, o peso do envelhecimento. “Existe uma perda gradativa de massa magra e aquela panturrilha, que sempre funcionou bem, começa a perder fibras musculares. Além disso, as veias começam a envelhecer como todos os outros órgãos do corpo – e as veias envelhecem se dilatando. A conclusão é: nessa fase, provavelmente o inchaço, o cansaço no final do dia e a piora do aspecto estético das pernas devem te alcançar”, afirma. Alimentação balanceada associada a prática de exercícios físicos, com o objetivo de ganhar musculatura, são boas dicas para balancear os efeitos do tempo. “Mas a boa notícia é: se você chegou até aqui sem nenhuma queixa ou com um quadro simples, estético, o tempo está a seu favor. Costumo dizer que a mulher nessa fase, já tem ‘test drive’ para as varizes, e se nada maior aconteceu até agora, é porque provavelmente nunca vai acontecer”, diz.

Aos 50 anos

Por volta dessa idade, explica a Dra Aline, a mulher passa pelo último grande teste para o sistema venoso. “Com a chegada da menopausa, a reviravolta hormonal pode levar a dor nas pernas, inchaço e piora das varizes. Quando os hormônios realmente caem e se encerra esse período, podemos dizer que a doença venosa também deve dar uma estabilizada. Isso não significa que o acompanhamento médico deva ficar esquecido.”

Em idosos

A associação de perda de massa muscular, dilatação das veias e falta de mobilidade torna o idoso uma pessoa propicia para o inchaço, retenção de líquido, dores e cansaço nas pernas. “Como a pele do idoso é mais fina e os vasos mais frágeis, é comum o aparecimento de lagos de sangue pelo corpo (manchinhas nos braços e pernas). Hematomas espontâneos também são bastante comuns. Em idosos que apresentam muitas varizes e vasinhos, precisamos ficar atentos aos cuidados locais com a pele, pois a associação de pele mais fina, vasinhos e ressecamento de pele podem levar a sangramentos localizados, que costumam causar grande preocupação e susto em toda a família”, afirma a médica. “Exercite-se, cuide da pele, use medicação flebotônica quando indicada, use meias de compressão elástica e tenha uma terceira idade livre de surpresas”, finaliza.

Cirurgiã vascular e angiologista, Dra. Aline Lamaita

é formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e do American College of Phlebology. A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina. http://www.alinelamaita.com.br/

HOLDING COMUNICAÇÕES

Paula
E-mail: paula.amoroso@holdingcomunicacoes.com.br
Fone: (11) 20617919

Tags:,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria