Cabelos: é hora de mudar a cor

TINTURA PERMANENTE

O que é/como age:

Contém água oxigenada e amônia, que conseguem penetrar na cutícula do fio e retirar uma boa parte dos pigmentos originais para depois fixar os corantes da nova cor.

Variações: luzes, reflexos e mechas são nomes de técnicas que usam pó descolorante (pelo mesmo princípio, a água oxigenada elimina o pigmento natural do cabelo, produzindo um clareamento de até sete tons), ou então, a própria tintura permanente no tom desejado para as mechas.

Em casa ou no salão?

No salão, de preferência. Em casa, o risco de os cabelos ficarem manchados é grande.

Vantagens:

Promove as mudanças mais radicais (a tintura-creme escurece ou clareia até quatro tons acima ou abaixo da cor original) e dura por tempo indefinido — para eliminá-la, é preciso ir cortando os fios ou ir tingindo por cima.

Desvantagens:

A manutenção é a parte mais delicada. Geralmente, todo mês já é preciso retocar as raízes. Quem alisa os cabelos não pode escolher esse tipo de tingimento. É que os compostos ativos dos dois processos químicos não combinam entre si. Como é o tipo de tintura que mais agride os fios, para que os cabelos fiquem bonitos é importante fazer um banho de creme mensal e usar condicionadores leave-in (sem enxágüe) e finalizadores com fórmulas acrescidas de silicone, para ajudar a proteger os fios.

Média de preço:

De R$ 50 a R$ 300, o tingimento, e de R$ 100 a R$ 400, as luzes, mechas e reflexos.

TINTURA SEMI-PERMANENTE

O que é/como age:

O melhor exemplo é o xampu tonalizante. Contém basicamente água oxigenada, mais pigmentos artificiais e agentes de tratamento, depositando a nova cor na superfície dos fios sem quase alterar a estrutura capilar, retirando bem pouco dos pigmentos naturais. O resultado é um realce no tom natural ou o chamado tingimento tom-sobre-tom, que deixa um reflexo da coloração escolhida sem eliminar a cor base do cabelo. A grande diferença se comparado ao tonalizante é cosmética. Como ele faz espuma, tem muita gente que acha mais agradável usá-lo. Algumas marcas, no entanto, criaram alguns tons de xampu tonalizante com nuanças clareadoras, capazes de clarear até dois tons. Estes produtos, que não são a regra, têm, assim, uma pequena dosagem de amônia, composto que irá abrir as cutículas para descolorir, permitindo um leve clareamento.

Em casa ou no salão?

Tanto faz. Em casa também pode ser aplicada com sucesso.

Vantagens:

Devido à pouquíssima quantidade de amônia, estraga menos do que as tinturas permanentes e quase nunca provoca reações alérgicas.

Desvantagens:

A coloração vai saindo com as lavagens. Para quem lava os cabelos a cada dois dias, a durabilidade costuma ser de um mês. Se feita sucessivamente, o cabelo tende a ressecar.

Média de preço:

De R$ 50 a R$ 200 no salão. O preço do produto na farmácia ou supermercado, em média R$ 9.

TINTURA TEMPORÁRIA

O que é/como age:

Também chamada de tonalizante ou rinçagem.

Tonalizante: Nunca tem amônia, só oxidante (água oxigenada) e pigmentos da nova cor. Portanto, como ela não abre a cutícula dos fios, age só na superfície. Isso significa que jamais pode ter poder clareador. Os produtos disponíveis no mercado são em geral em forma de bisnaga com emulsionante (contendo água oxigenada misturada a agentes que tratam os cabelos). Com ela é possível intensificar a cor natural dos cabelos ou escurecê-los dando nuanças de moda, como os chocolates, acobreados, avermelhados, além de acrescentar um brilho extra.

Rinçagem: Não tem oxidante nem amônia, por isso o seu poder de cobertura é mínimo e tampouco clareia (óbvio!). O efeito é rapidíssimo. De 4 a 6 lavagens, já sai tudo. Serve para realçar a cor natural e dar um reflexo muito sutil das cores da moda (achocolatados, acobreados, avermelhados).

Variações: As novíssimas canetinhas, géis coloridos e máscaras para cabelo também podem ser classificadas como tintura temporária.

Em casa ou no salão?

Dá para ser bem sucedida em casa mesmo.

Vantagens:

As mulheres mais ansiosas podem partir para uma nova cor a cada dez ou quinze dias, já que, com as lavagens, a coloração vai saindo completamente. As máscaras de cabelo e sticks saem já na primeira chuveirada.

Desvantagens:

Oferece muito mais brilho do que as colorações permanentes.

Média de preço:

De R$ 15 a R$ 100 no salão. Na farmácia ou supermercado, os produtos custam em média: tonalizante = R$ 9; rinçagem = R$ 10.

TINTURA VEGETAL

O que é/como age:

A famosa Hena realmente a hena não entra na cutícula do fio. Por ter tanta afinidade com o fio, ela adere facilmente à superfície. É como que se ela encapasse o fio. A ação da hena é cumulativa, quanto mais se aplica mais a cor vai se aderindo. O tempo ideal de reaplicação é de vinte dias. Se esse tempo for encurtado, aí sim, pode haver problema porque a cor pode demorar mais tempo para sair. A hena natural sempre tem nuanças avermelhadas ou acobreadas. Mas, há marcas que misturam o pó extraído da planta natural a metais mais pesados. Nesse caso, os produtos têm uma química mais forte e podem até mesmo modificar a estrutura do fio. Desconfie de henas com cores que fogem às nuanças mais comuns (como a preta, por exemplo).

Em casa ou no salão?

Tanto faz.

Vantagens:

Dá volume e brilho aos fios. Ideal para reequilibrar o excesso de oleosidade do cabelos. A cor vai saindo conforme se lava os cabelos, depois de um mês.

Desvantagens:

Com as sucessivas reaplicações, vai ressecando demais o cabelo e a cor não fica mais uniforme. Além disso, o efeito é cumulativo. Depois de repetir o processo algumas vezes, o cabelo fica com um tom avermelhado definitivo, já que uma dose considerável do produto acaba impregnando na estrutura do fio. Fique esperta quando escutar que a henna trata o cabelo. Isso é pura lenda.

Média de preço:

De R$ 20 a R$ 150 a aplicação no salão. Na farmácia ou supermercado, o produto custa em torno de R$ 8.

AS CORES CERTAS PARA CADA TIPO

OS TONS DA MODA

Na hora de decidir sobre qual a melhor cor para seu cabelo, saiba que todas as técnicas que iluminam o rosto, como mechas, luzes e reflexos, estarão em alta na próxima estação. Para o verão, a tendência será usar e abusar de tons mais quentes, como os acobreados e marrons. Quem tem cabelos loiros pode se repaginar com reflexos acobreados. Já quem é castanha pode experimentar as luzes avermelhadas, que puxam para o café. Por fim, quem tem cabelos pretos ficará atual com mechas castanho-escuras. Mas, não é o caso de ter regras muito definidas. Quem for mais ousada vai ficar com um ar fashion, colocando na cabeça três tons de cobre junto com um vermelho mais claro, por exemplo.

Consultoria:

Bernadette Caldas

Gerente de Mercado da Wella

Hélio Sassaki

Professor do Centro de Tecnologia em Beleza do Senac/SP

Tags:, , ,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria