Unhas

Na extremidade dos dedos das mãos e dos pés, a nossa pele se transforma para fazer surgir as unhas.

Estas são produtos da epiderme e são formadas por células mortas contendo a proteína fibrosa chamada queratina.

Cada unha consiste de:

• uma raiz, ou parte que fica abrigada dentro de uma dobra da pele;
• um corpo, ou a superfície exposta presa à superfície da pele;
• uma extremidade anterior livre chamada de borda.

A pele abaixo da raiz e o corpo da unha são chamados de matriz. A matriz é espessa e coberta por papilas altamente vascularizadas, sendo que sua cor é vista através do tecido córneo transparente.

Próximo à raiz, as papilas são menores e menos vascularizadas; portanto, a porção da unha que corresponde a essa parte é mais branca. Devido à forma de meia-lua dessa porção, ela é chamada de lúnula.

A unha avança para a frente devido ao crescimento sucessivo de novas células na raiz e sob o corpo da unha. As unhas das mãos normalmente crescem 2 a 3 vezes mais rápido que as unhas dos pés. O índice de crescimento diminui com a velhice.

Mudanças repentinas ou significativas na aparência das unhas podem ser o primeiro sinal de doença. Quando o indivíduo apresenta desnutrição grave, após uma doença, ou durante o curso de alguns tipos de quimioterapia, a formação das unhas se desequilibra. Durante as várias semanas de tal formação desequilibrada, pode-se ver uma área de afinamento das unhas. A largura dessa zona de afinamento das unhas corresponde à duração da doença ou do uso da quimioterapia.

Contrário à crença popular, a estrutura das unhas não está relacionada com a estrutura dos ossos e a ingestão de cálcio extra não fortalecerá unhas quebradiças. Muito menos a ingestão de gelatina ajudará.

Problemas nas unhas, como infecção causada por fungos e outras condições da pele são melhor tratadas por um dermatologista.

Compridas ou curtas, o importante é ter as unhas sempre limpas e bem cuidadas.

Queratina

A Queratina é uma proteína altamente fibrosa e resistente que forma a maioria dos materiais nas células, formando a epiderme, os cabelos e as unhas no homem.

Essas células têm origem na população permanente de células germinativas e, à medida que migram para fora, elas passam por padrões específicos de diferenciação, em um processo chamado queratinização. Isto é, as células são preenchidas com microfibrilas de queratina, as paredes da célula se endurecem e o núcleo e as organelas das células são reabsorvidas.

Todavia, pouco se sabe sobre como as células se diferenciam para formar estruturas tão diversas e eficientes, como a camada elástica externa da pele dos mamíferos ou as escamas duras do peixe.

Uma qualidade importante da queratina é sua capacidade de se estender e contrair.

Referências:

  1. Microsoft (R) Encarta. Copyright (c) 1993 Microsoft Corporation. Copyright (c) 1993 Funk & Wagnall’s Corporation.
  2. Stedman, Dicionário Médico. Editora Guanabara Koogan S.A., Rio de Janeiro – RJ, 23ª Edição, 1979.

θ

Tags:,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Sonia Lima

Com formação em Letras pela USP e tendo traduzido e/ou revisado centenas de textos científicos, Sonia é a colaboradora mais experiente do EsteticDerm nos textos de literatura de beleza e saúde. Trabalhou com obras científicas em diversas áreas como médicas, odontológicas, ortopedia, psiquiatria e quiropraxia e áreas de exatas como engenharia e arquitetura.

Email Site /blog

Dados desta matéria