Outubro Rosa: Reconstituindo a mama para o bem-estar feminino

Outubro Rosa: a importância da reconstituição da mama para o bem-estar da mulher

Neste mês, em todo o mundo, comemora-se o “Outubro Rosamovimento mundial de conscientização e combate ao câncer de mama. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, esse é o segundo tipo mais frequente no mundo entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. O segundo mais comum, é o câncer de colo do útero. Portanto, o movimento é para conscientizar cada vez mais as mulheres o quanto é importante e imprescindível fazer os exames de prevenção e o diagnóstico precoce para descobrir a doença no início.

Segundo Dr. Nei Marinho cirurgião plástico e diretor geral do Hospital San Paolo – centro hospitalar de média complexidade localizado na zona norte de São Paulo, a maior e mais eficaz forma de prevenção é o diagnóstico precoce. “O autoexame deve ser realizado rotineiramente e em caso de qualquer anormalidade percebida o médico deve ser consultado imediatamente”.

Quando a mulher recebe o diagnóstico do câncer de mama o sentimento maior é de medo, não só com o estado de saúde, mas devido à preocupação de, em alguns casos, ter que retirar a mama doente. Para Dr. Nei, a reconstrução mamária pode ser uma opção importante para as mulheres que queiram ter seu seio novamente e não se sentirem incompletas. “Em geral, as pacientes têm a sensação de mutilação, pois desde a criação a mama é um símbolo de feminilidade e tem uma função importantíssima na sexualidade feminina”, explica o médico.

Uma pesquisa da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos aponta que a reconstrução dos seios preocupa 89% das mulheres com câncer de mama, mas apesar dessa preocupação muitas não têm informações suficientes sobre essa cirurgia, não sabem em que muitos casos é possível realizar a mastectomia, retirada da mama, e em seguida realizar a reconstrução. “Hoje em dia, várias técnicas podem ser utilizadas na reconstrução, sendo a mais usual, atualmente, a utilização de prótese de silicone. Outras técnicas incluem, por exemplo, o retalho de músculo reto-abdominal e o retalho de músculo dorsal”, explica o cirurgião.

Vale lembrar que o autoexame não exclui a necessidade da mamografia, pois ela é insubstituível na prevenção do câncer de mama. Apenas a mamografia permite detectar alterações mínimas e revelar nódulos que não são perceptíveis à palpação.

Como fazer o Autoexame:

1° – Observação em frente do espelho:

Observe tamanho, posição, forma da pele, aréola e mamilo.

2° – Palpação de pé:

Com os dedos unidos, use a mão direita para apalpar a mama esquerda e a mão esquerda para a direita. Procure caroços, alterações de consistência, secreções, ou saliências.

3° – Palpação deitada:

Apalpe toda a mama através de suave pressão sobre a pele com movimentos circulares. Apalpe também as axilas.

Hospital San Paolo

Rua Voluntários da Pátria, 2786 – Santana
Tel: (11) 3405-8200
www.hsanpaolo.com.br

Tags:, ,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria