O poder do ácido salicílico

Saiba mais sobre o ácido que auxilia em diversos tratamentos de pele

Muitos anos antes de Cristo, o ácido salicílico já tinha sido descoberto devido às suas propriedades antipiréticas e analgésicas. O ácido apresenta ainda, propriedades esfoliantes, antinflamatórias e antimicrobianas. Age deixando a pele mais fina e evitando a contaminação bacteriana.

O ácido salicílico tem uma ação muito benéfica na acne (inflamatória e não inflamatótria) devido ao seu efeito antinflamatório, adstringente e esfoliante. Pode também ser utilizado para o tratamento do envelhecimento cutâneo, sendo efetivo na redução das rugas finas, além de melhorar a textura da pele. Sua ação esfoliante se concentra nas camadas cutâneas mais externas, que são ricas em lipídios. A taxa natural de renovação celular nessas camadas se reduz com o envelhecimento, determinando o acúmulo de células mortas, que leva à aparência opaca e áspera“, afirma a dermatologista Carolina Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

As indicações para o uso deste ácido são: acne, rosácea, hiperpigmentação pós-inflamatória, sardas, fotoenvelhecimento e condições em que a pele se apresenta espessa e áspera, como, por exemplo, na psoríase.

De acordo com a dermatologista, mulheres grávidas e com pele seca e sensível e/ou pessoas com hipersensibilidade ou alergia devem evitar o tratamento com o ácido. “Nestes casos, existe o risco de piora do ressecamento e aparecimento de reações inflamatórias de hipersensibilidade. Já efeitos colaterais são raros e incluem vermelhidão, ressecamento, formação de crostas e hiperpigmentação temporária. Os pacientes que possuem história de sensibilidade ao salicilato, devem evitar o uso“, explica Dra. Carolina.

O ácido salicílico é encontrado em sabões, loções tônicas, géis e emulsões fluidas e pode ser utilizado também na forma de peelings, com algumas recomendações. “Durante o tratamento com o ácido, a pele fica mais fina e sensível, por isso é muito importante evitar a exposição solar“, completa a médica que enfatiza: “Peeling com o uso do componente deve sempre ser realizado por indicação e sob supervisão médica, pois as concentrações utilizadas do produto são altas e podem causar complicações se não forem administradas adequadamente.”

Dra. Carolina Marçon
dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia  

Time Comunicação
Time Comunicação Ltda
Paula Saletti
E-mail: psaletti@timecomunicacao.com.br
Fone: (11) 30813477

Tags:, ,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria