Dor durante as relações sexuais? É preciso buscar ajuda

Ao contrário do que muitos pensam, nem sempre as relações sexuais
são sinônimo de prazer.

Para algumas mulheres a penetração é extremamente dolorida e desconfortável. No entanto, apesar da sensação ruim, muitas mulheres não associam a dor com possíveis doenças ginecológicas, fazendo com que adiem a visita ao ginecologista e o problema acabe se agravando.

Entre as principais causas de dor durante as relações sexuais estão a endometriose, as infecções pélvicas, a tensão, a falta de lubrificação. Saiba como cada um desses fatores interfere na qualidade da vida sexual feminina:

ENDOMETRIOSE

A endometriose está entre as principais causas de dor quando o pênis encosta no fundo da vagina (chamada pelos médicos de “dispareunia de profundidade”) durante as relações sexuais. É caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso à espera de um bebê e quando a mulher não engravida, ele descama e desce a menstruação. Acontece que, em alguns casos, um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal. A inflamação dessas células é um problema comum – uma das principais causas de infertilidade feminina – e quase sempre acontece dentro do próprio útero.

Mas é possível que partes desse tecido migrem para fora do útero e se fixem em outros órgãos, configurando a chamada endometriose externa. Nesses pontos, que tendem a sangrar antes de cada ciclo menstrual, ocorre um processo inflamatório. O local fica fibroso e dolorido – é por isso que a mulher com endometriose pode sentir dor quando o pênis entra em contato com as partes mais profundas da vagina.

TRATAMENTO: No momento, ainda não há cura para a doença e não existe uma única abordagem ideal para o tratamento da endometriose, portanto, o tratamento deve ser adaptado para cada paciente. A remoção cirúrgica das lesões de endometriose é uma opção. A outra é a medicação. Os medicamentos são prescritos para tratar os sintomas dolorosos da endometriose. O Allurene® (dienogeste) é uma nova terapia oral desenvolvida pela Bayer HealthCare Pharmaceuticals e aprovada para o uso exclusivo de pacientes com endometriose, oferecendo um tratamento sob medida para a dor causada pela doença. Conforme pesquisa comportamental da Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE), em parceria com a Bayer, 88% das mulheres brasileiras desconhecem uma opção de tratamento para o problema.

É muito comum que as mulheres vivam por vários anos com a dor da endometriose antes de receberem um diagnóstico correto. Isso, muitas vezes, significa um atraso na gestão da doença, consequentemente, afetando de forma negativa a sua vida profissional, social e psicológica“, comenta o Dr. Maurício Simões Abrão, professor associado do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e presidente da SBE.É importante que as mulheres conheçam mais sobre os sintomas da endometriose, em vez de apenas ficarem pensando que a dor pélvica é ‘normal’. Elas precisam saber que a dor da endometriose é real e pode ser tratada. Por isso, é importante que falem com seus médicos. A disponibilidade de um novo tratamento é uma boa notícia e um passo na direção certa“, reforça o Dr. Mauricio Abrão.

TENSÃO

Algumas vezes a mulher apresenta algum tipo de bloqueio de ordem emocional e, com medo da penetração, contrai exageradamente a musculatura do períneo, dificultando a entrada e a movimentação do pênis e propiciando um quadro de vaginismo. Muitas vezes, a tensão não é o fator determinante, pois pode estar associada à dor causada por outros problemas como uma inflamação local.

TRATAMENTO: É preciso investigar junto ao ginecologista qual o motivo da dor. Se for totalmente emocional, é possível que ele indique um psicoterapeuta.

LUBRIFICAÇÃO

Falta de lubrificação pode ser um agravante quando se fala de dor nas relações sexuais. A causa mais comum do problema é a queda da produção hormonal que geralmente acontece durante a menopausa e faz com que a vagina perca a elasticidade e fique ressecada. No entanto, a secura vaginal também está relacionada à amamentação, ao uso excessivo de absorventes internos, à falta de libido etc.

TRATAMENTO: É necessário passar por uma avaliação ginecológica para determinar as causas do problema. Dependendo do caso, o médico pode receitar desde lubrificantes locais que facilitem o ato sexual, até reposição hormonal ou ajuda psicológica.  

INFECÇÕES PÉLVICAS

Em alguns casos, a dor durante as relações advêm das infecções pélvicas, que consistem em doenças que irritam o interior da vagina e podem causar ardor, coceira, sensação de queimação, como herpes, candidíase, vaginose, clamídia, entre outras.

TRATAMENTO: Um ginecologista poderá avaliar a situação e dizer se há algum tipo de problema ou não. Caso a vagina esteja irritada, é comum o médico combater o foco da infecção e, depois, recuperar as paredes vaginais com medicação adequada.

• Dr. Mauricio Simões Abrão,

professor associado do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE)

• Dr. Carlos Alberto Petta,

professor do Departamento de Ginecologia da Unicamp e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE)  

BAYER HEALTHCARE PHARMACEUTICALS

A Bayer HealthCare Pharmaceuticals, divisão da Bayer HealthCare, reúne 38 mil funcionários, em mais de 150 países e está entre as 10 maiores corporações de especialidades farmacêuticas do mundo com faturamento anual superior a €10 bilhões. A Bayer HealthCare Pharmaceuticals é formada pela união mundial da Bayer e da Schering AG, oficializada em 2006. A unidade brasileira é a sua maior subsidiária na América Latina. A atuação no Brasil contempla diferentes áreas de negócio: Saúde Feminina, Medicina Especializada, Medicina Geral e Radiologia & Intervenção.

BURSON MARSTELLER S/C LTDA

Priscila Oliveira
E-mail: Priscilla.Oliveira@bm.com
Fone: (11) 30942246

Tags:,

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Protected with IP Blacklist CloudIP Blacklist Cloud

Dados do Autor

Diversos Autores

Diversos autores colaboraram nos textos existentes no EsteticDerm. Alguns dedicaram suas matérias de forma específica. Outros foram colhidos em sites que disponibilizam material e publicados após análise e aprovação da equipe de editores. As fontes na Internet são muitas mas sempre haverá busca, análise e aprovação do texto seja qual for sua origem. O enfoque principal é beleza e saúde do corpo humano embora tenhamos áreas de leitura geral. Muitas das publicações foram elaboradas por autoridades no assunto proposto. O conteúdo dos textos, artigos e matérias é de responsabilidade total de seus autores.

Email Site /blog

Dados desta matéria